22°C 26°C
João Pessoa, PB
Publicidade

Annelise Meneguesso debate interrupção da gravidez e pede que parlamentares votem em favor da vida

A médica e conselheira do Conselho Federal de Medicina (CFM) pela Paraíba, Annelise Meneguesso, participou nesta segunda-feira (17) de um debate no Senado Federal sobre assistolia fetal, método recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) quando a gestação é interrompida acima de 20 semanas.

18/06/2024 às 17h37 Atualizada em 19/06/2024 às 11h37
Por: Nailson Júnior Fonte: Multipla Comunicação
Compartilhe:
Annelise Meneguesso debate interrupção da gravidez e pede que parlamentares votem em favor da vida

A médica e conselheira do Conselho Federal de Medicina (CFM) pela Paraíba, Annelise Meneguesso, participou nesta segunda-feira (17) de um debate no Senado Federal sobre assistolia fetal, método recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) quando a gestação é interrompida acima de 20 semanas.  O país acompanha com atenção as discussões na Câmara Federal sobre o projeto de Lei 1904/24, do deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ) e outros 32 parlamentares, que equipara ao homicídio o aborto de gestação acima de 22 semanas. 

Annelise Meneguesso apresentou um histórico sobre a interrupção da gravidez e pediu que os parlamentares votassem sempre a favor da vida. “Hoje nós deveríamos estar debatendo como acolher as vítimas de estupro e como facilitar o acesso dessas meninas, adolescentes e mulheres aos serviços de saúde de forma precoce antes da evolução da gestação, afim de reduzir os sofrimentos dessas pessoas. Peço a todos os deputados e senadores que votem sempre a favor da vida”, disse.

Continua após a publicidade

Para Annelise, nesse momento o movimento feminista deveria fazer uma defesa pelo fortalecimento das políticas públicas em favor das mulheres e não do aborto. “Se realmente o movimento representasse as mulheres empoderando-as, ao invés de estar induzindo as mães a assassinarem os seus bebês no próprio ventre, estaria empenhado em fortalecer políticas públicas de saúde, planejamento familiar de forma responsável, educação sexual e segurança para essas mulheres, ampliando os mecanismos de proteção tanto à mulher quanto as famílias”, frisou.

Segundo a médica, não tem como defender a interrupção de uma vida e questionar assassinatos e genocídios. “A partir do momento que violamos o direito do nascituro, com que autoridade poderemos condenar atos de terrorismo ou de genocídio? Como iremos justificar a defesa do futuro da humanidade se a vida nada vale?”, questionou Annelise.

Projeto – A Câmara dos Deputados aprovou no último dia 12 de junho o regime de urgência para o Projeto de Lei 1904/24. Os projetos com urgência podem ser votados diretamente no Plenário, sem passar antes pelas comissões

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Inácio Azevedo da SilvaHá 1 mês João Pessoa (PB)Permita-me discordar da Dra. O projeto que a Dra. e o Conselho Federal de Medicina (CFM) defendem, representa, de uma forma inédita, uma punição maior para a vítima (até 20 anos) em detrimento de uma punição de no máximo 10 anos para o estuprador. Como profissional do setor de saúde, parece desconhecer a burocracia e a morosidade que o judiciário tem para analisar os casos de estupro, onde na maioria das vezes passam das 20 semanas. "Estuprador não pode ser pai e criança não pode ser mãe"
Mostrar mais comentários
João Pessoa, PB
29°
Parcialmente nublado

Mín. 22° Máx. 26°

30° Sensação
8.75km/h Vento
51% Umidade
67% (1.39mm) Chance de chuva
05h32 Nascer do sol
05h18 Pôr do sol
Qua 26° 22°
Qui 26° 21°
Sex 27° 22°
Sáb 26° 22°
Dom 26° 23°
Atualizado às 14h04
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,59 +0,23%
Euro
R$ 6,06 -0,11%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,58%
Bitcoin
R$ 388,924,93 -3,06%
Ibovespa
126,632,35 pts -0.96%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
ANUNCIE AQUI
Publicidade
Vagas de Emprego na Paraíba
jooble
Lenium - Criar site de notícias