PBNEWS


Saúde

Atendimentos no Trauma de JP reduz em 17% no Ano Novo

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, referência no atendimento de alta complexidade em urgência e emergência, realizou 300 atendimentos neste final de ano. O número é referente aos dias 31 de dezembro de 2016 até as primeiras horas do dia 2 de janeiro de 2017.

02/01/2017 22:02

O Hospital Estadual de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, referência no atendimento de alta complexidade em urgência e emergência, realizou 300 atendimentos neste final de ano. O número é referente aos dias 31 de dezembro de 2016 até as primeiras horas do dia 2 de janeiro de 2017. Os números revelam diminuição na maioria dos casos se comparados a 2015. No geral, a redução foi de 17%.

Os dados confirmam que acidentes com motos continuam liderando as estatísticas da unidade de saúde: foram 69, desse total, 89 foram de acidente de trânsito: automóvel 9, atropelamento 6, bicicleta 4, ônibus 1. Outro destaque nos números foram as ocorrências por quedas com 60, arma de fogo com 2, arma branca 12 e agressão física 14.

Já em 2015, neste mesmo período, deu entrada na instituição 363 pessoas, o que representa uma redução de 17,81% no comparativo entre os dois anos. A maior redução de 75% foi constatada com relação às vítimas por arma de fogo, enquanto este ano tivemos apenas dois casos, ano passado foram oito. Os acidentes de trânsito também tiveram redução de 16%. Com relação aos acidentados com motos a redução foi de 19%, foram 69 em 2016 e 85 em 2015.

Durante o Ano Novo, o Hospital de Trauma disponibilizou reforço de toda a equipe assistencial, com médicos, equipe de enfermagem e suporte, incluindo UTIs móveis. A unidade hospitalar é referência em atendimento de casos de urgência e emergência de média e alta complexidade, tais como: trauma (acidentes e desastres), violência (física e sexual), queimadura, choque e doenças clínicas em suas fases agudas – Acidente Vascular Cerebral (AVC) e hemorragia digestiva.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS