PBNEWS


Policial

Polícia prende ex-funcionário de bar por assalto

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) de João Pessoa, deu cumprimento, nessa quarta feira (25), a um mandado de prisão preventiva em desfavor de Paulo Virginio Costa Alves. Ele é suspeito de participar do assalto realizado no dia 7 de maio deste ano no Bar Seu […]

30/10/2017 10:02

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) de João Pessoa, deu cumprimento, nessa quarta feira (25), a um mandado de prisão preventiva em desfavor de Paulo Virginio Costa Alves. Ele é suspeito de participar do assalto realizado no dia 7 de maio deste ano no Bar Seu João, localizado na Av. Fernando Luiz Henrique, no bairro Jardim Oceania, zona leste da Capital.

Paulo Virgílio é ex-funcionário do estabelecimento e, de acordo com o inquérito policial, ele teria fornecido informações sobre o funcionamento e localização do dinheiro para os assaltantes, que entraram no Bar armados e roubaram quase R$ 15 mil. Os bandidos também levaram objetos dos proprietários e funcionários. O primeiro suspeito de praticar a ação criminosa, Eduardo Peixoto Oliveira, foi preso no dia 21 de setembro por policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE).

Eduardo aparece nas imagens do circuito de câmeras de segurança instalado dentro do estabelecimento. O equipamento flagrou toda ação dos criminosos. Eduardo está à disposição da Justiça no Presídio Flósculo da Nóbrega (Roger). “Agora vamos continuar as investigações para prender o segundo homem que aparece nas imagens usando um capacete preto. Solicito a ajuda da população, que pode ligar para o número 197 e informar dados sobre o suspeito ou o paradeiro dele”, disse o delegado Diego Garcia.

A ligação feita para o Disque Denúncia da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social é sigilosa, a pessoa não precisa se identificar e todas as informações são investigadas. Paulo Virginio da Costa Alves, preso nessa quarta-feira, foi ouvido pela autoridade policial e encaminhado para audiência de custódia.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS