PBNEWS


Mundo

“Cerca de 50 pessoas estão entre a vida e a morte”, diz presidente francês em Nice

Em um discurso transmitido na manhã desta sexta-feira (15) direto de Nice, o presidente da França, Francois Hollande, confirmou a morte de 84 pessoas no atentado da noite de quinta-feira (14), e afirmou que outras 50 estão “entre a vida e a morte”. — Toda a França deve compartilhar essa emoção, a solidariedade com as […]

15/07/2016 11:55

Em um discurso transmitido na manhã desta sexta-feira (15) direto de Nice, o presidente da França, Francois Hollande, confirmou a morte de 84 pessoas no atentado da noite de quinta-feira (14), e afirmou que outras 50 estão “entre a vida e a morte”.premier

— Toda a França deve compartilhar essa emoção, a solidariedade com as vítimas e suas famílias.

François Hollande advertiu que a França “não terminou” com o terrorismo, e declarou que cerca de 100 membros das forças de segurança intervieram durante o ataque na noite de desta quinta-feira (14).

— Eu tenho em mente que esses jovens oficiais atuaram para o assassino ser morto e assim acabar com a carnificina.

Hollande chegou a Nice na manhã desta sexta-feira. Ele se encontrará com autoridades de segurança locais para debater a situação após o ataque.

“Vi corpos voando como pinos de boliche”: testemunhas

O primeiro-ministro, Manuel Valls, e o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, já se encontram na cidade.

Em pronunciamento realizado ontem à noite, Hollande disse que “é inegável o caráter terrorista do ataque”, acrescentando que entre as vítimas, muitas são crianças.

— A França foi atacada por essa nova tragédia e está horrorizada com o que aconteceu. Essa monstruosidade que consiste em utilizar um caminhão para matar, deliberadamente, dezenas de pessoas que vieram simplesmente celebrar o [feriado] 14 de Julho. A França chorou, está ferida, mas é forte, e sempre será mais forte que os fanáticos que a atacaram.

Estado de Emergência

O presidente decidiu ampliar o estado de emergência declarado após os atentados de 13 de novembro em Paris, que deixaram ao menos 130 mortos, por outros três meses.

Ele havia anunciado horas antes do ataque que pretendia extinguir a medida. “É toda a França que está sob a ameaça do terrorismo islâmico. Então, nessas circunstâncias, nós devemos fazer uma demonstração de vigilância absoluta e de determinação contínua”, apontou.

Autoridades de Paris avaliam o envolvimento de membros do Estado Islâmico no ataque, apesar de o grupo ainda não ter reivindicado autoria. Além disso, após o massacre, a França vai “reforçar as operações” contra terroristas do Estado Islâmico “tanto na Síria como no Iraque”. “Nada nos fará ceder a esta vontade de lutar contra o terrorismo”, concluiu Hollande.

“Fomos golpeados no dia 14 de julho, o dia da Festa Nacional e símbolo da liberdade, pois os fundamentalistas negam os direitos fundamentais”.

Fonte : Do R7, com agências

 

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS