PBNEWS


Colunas

Reforma da Previdência

11/07/2019 16:18

O assunto mais falado hoje em dia no cenário nacional é, talvez, a reforma da Previdência
Social brasileira. E nessa seara, o governos federal e os governos dos estados alegam que seus
respectivos sistemas podem quebrar se não houver a tal reforma. E o curioso é que, na base
da discussão, não há notícia de que há participação da classe trabalhadora – a
que,certamente, será a mais afetada, caso ocorra a reforma.
A quem interessa essa reforma? Essa é a pergunta que não quer calar. Mais do que isso, para
onde foi dinheiro descontado do salário do trabalhador, valor esse recolhido à Previdência –
pelo menos em tese, ou melhor, é a informação que vem no contracheque do trabalhador.
Para o governo é muito fácil encontrar culpados, dizer que a conta não está batendo. Pior que
isso, afirma que o aposentado de hoje é bancado por dois trabalhadores da ativa. É muito fácil
dizer isso, repito, e muita gente acredita nesse falso discurso. Ora, se um trabalhador se
aposenta, hoje, é porque o mesmo contribui, em média, por mais de 30 anos, por assim dizer.
E esse dinheiro recolhido? Não foi para a previdência? Foi pra onde?
Para explicar melhor, vamos tomar como exemplo uma pessoa – de nome Padrão Pontual –
que começou a trabalhar em um empresa privada, no ano de 1980, coincidentemente na
abertura dessa empresa. Seu Padrão Pontual é pioneiro desse empreendimento, sua carteira
foi a primeira a ser assinada. Agora, após 35 anos de trabalho ininterrupto, faz jus a sua
aposentaria.
Dando seguimento ao raciocínio, vamos levar em consideração que a empresa sempre operou
de forma correta, do ponto de vista contábil, mantendo as suas obrigações em dia, desde a sua
fundação em 1980. Com isso, claro, sempre recolhendo à Previdência o valor descontado de
cada trabalhador – centavo por centavo!
De acordo com o exemplo acima, não há como dizer que seu Padrão Pontual terá sua
aposentadoria bancada por dois trabalhadores da ativa. E o dinheiro descontado do seu
salário, , mês a mês? Aonde está?
Não, essa estória não dá pra engolir. É preciso outra desculpa convincente ou, o que é
recomendável e justo, mostrar onde está o erro, o que ocorreu nessa engrenagem,
principalmente no passado? E preciso quem e o que fizeram com o dinheiro recolhido do
suado salário dos trabalhadores. Isso, sim!
Ao que parece, ao que tudo indica, alguém quebrou a Previdência. É preciso apontar os
culpados, os verdadeiros responsáveis pela situação em que se encontra, hoje, a Presidência
Social. E não se trata de caça às bruxas; se trata de justiça.

Valter Nogueira

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS