PBNEWS


Colunas

João dá o tom

30/04/2019 15:22


Aos poucos – é claro – , o governador João Azevedo vai dando o tom, a marca, a
fisionomia da sua forma de gerir o Estado. Com uma mudança aqui, um
remanejamento ali, já é possível visualizar ou imaginar que não tarda o anúncio de
uma reforma administrativa, até porque cada governante tem identidade própria, por
mais fiel que seja ao seu mentor político.
É inegável a importância – e a força política – do ex-governador Ricardo Coutinho no
processo eleitoral que levou João Azevedo à vitória e, por conseguinte, ao Palácio da
Redenção. Porém, tal fato não dá ao primeiro o direito de querer conduzir a gestão,
mesmo que de formo indireta. E essa realidade parece acontecer quando o gestor
atual mantém em seus quadros, no primeiro escalão, a maioria das pessoas
umbilicalmente ligadas à gestão anterior.
Ao governador de plantão, é salutar e recomendável governar com os seus. E isso,
dentro dos princípios republicanos, não pode ser traduzido como ato de rebeldia ou
rompimento com o seu grupo político. De forma contrária, dá credibilidade ao chefe
do Poder Executivo de plantão, ao tempo que engrandece a imagem do Governo.
Educação – A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta terça-feira (30),
uma sessão especial para debater as novas alternativas em educação na Paraíba. A
sessão, proposta pelo deputado Chió (REDE), aconteceu no Plenário José Mariz, como,
também, ato comemorativo ao Dia Mundial da Educação, celebrado em 28 de abril. Na
ocasião, foram pautadas iniciativas educacionais que necessitam estar inseridas nas
escolas estaduais paraibanas, assim como alternativas já adotadas em vários
municípios que precisam não apenas de visibilidade, mas serem compartilhadas e
adotadas em todo Estado pelos significativos resultados, a partir do desempenho dos
alunos.
Xeque-mate – Em tempo, a Polícia Federal concluiu as investigações da operação
‘Xeque-Mate’ e divulgou, na segunda-feira (29), relatório final do trabalho que apurou
esquema de corrupção e desvio de dinheiro na Prefeitura e Câmara Municipal de
Cabedelo. No relatório constam imagens dos investigados, além de conversas por
aplicativos de mensagens. O documento é composto por 175 páginas onde são
narrados os crimes imputados aos investigados, entre eles, o ex-prefeito da cidade,
Leto Viana.

Valter Nogueira

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS