PBNEWS


Colunas

Vitória do Trabalho

08/10/2018 09:56

A vitória do candidato João Azevedo (PSB) – um técnico – no primeiro turno das eleições
deste ano representa não apenas a força política do governador Ricardo Coutinho, mas, e
principalmente, o poder do trabalho, da organização. Isto é, ao assumir o governo do
estado, em 2011, Ricardo e equipe traçaram planos e metas e, com organização – repito
– arrumaram a casa, equilibraram as finanças. Resultado: obras pra todo lado, pagamento
da folha rigorosamente em dia. E isso fez toda a diferença!
De forma inversamente proporcional, candidaturas de políticos tradicionais sucumbiram.
Candidato do MDB ao governo, José Maranhão ficou em terceiro lugar, atrás de João e de
Lucélio Cartaxo (PV). Em seguida, ocorre o que parecia improvável: Cássio Cunha Lima
(PSDB), que figurava em primeiro lugar nas pesquisas, perdeu a eleição para o Senado.
Foram eleitos Veneziano Vital (PSB) e Daniella Ribeiro (PP).
Outro detalhe marcante, por assim dizer, foi a consolidação do descrédito do das
pesquisas do instituo Ibope na Paraíba: errou, de novo. E errou feio! Na última pesquisa,
em números redondos, João Azevedo aparecia com 49% dos votos válidos. Ao final da
apuração, Azevedo alcançou 58% – 9 pontos para cima.
O Ibope errou, também, ao projetar que Maranhão disputaria o segundo turno com o
candidato do PSB. Resultado: o emedebista amargou a terceira posição. Não é a primeira
vez, diga-se de passagem, que o instituto erra na Paraíba.
Resumo da ópera, ou melhor, do pleito: Ricardo Coutinho foi o ‘cara’ dessa eleição.
Elegeu seu candidato a governador, no primeiro turno; elegeu um senador; fez a maior
bancada na Assembleia Legislativa e conquistou metade da bancada federal. E, de
quebra, derrotou o candidato tucano ao Senado – seu maior rival político.

Valter Nogueira

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS