PBNEWS


Colunas

Quatro dicas essenciais para montar um E-Commerce

14/08/2018 15:34

Cerca de 60 milhões de brasileiros devem realizar pelo menos uma compra online em 2018, segundo informações divulgadas pela Ebit, empresa que mede a reputação de lojas vituais. A expectativa é que este ano o e-commerce tenha um crescimento de 12% e deve movimentar cerca de R$53 bilhões na economia brasileira.

Para as marcas, existe uma necessidade cada vez maior de ter uma presença online e oferecer aos consumidores a possibilidade da compra online. Mas, antes de oferecer seus produtos na internet, uma empresa precisa estar preparada para não ser pega de surpresa. Nisston Moraes, professor de TI da FBV João Pessoa, dá algumas dicas para empresas que pensam em investir neste segmento.

Plano de negócios é fundamental

O primeiro passo, mesmo para aqueles que têm uma empresa consolidada, é montar um novo plano de negócios com o maior número de informações possíveis: estudo de clientes, estudo de concorrentes, estudo de fornecedores, estruturar um plano de marketing para que o seu e-commerce possa realmente fazer a diferença em seus negócios.

“Basicamente, um e-commerce é uma vitrine virtual. O fluxo de pessoas que podem acessá-la é muito intenso e, consequentemente, a demanda pode ser grande. Antes de oferecer essa opção é preciso fazer algumas perguntas. Qual a sua capacidade de produção e dos seus fornecedores? Qual seu limite de estoque? Como funcionará a logística de entrega? Quais serão os canais de atendimento ao cliente?”, detalha Nisston.

Não é preciso investir rios de dinheiro

Para os pequenos empresários ou mesmo trabalhadores autônomos, é possível criar uma loja virtual sem grandes investimentos. “Alguns sites oferecem o serviço de construção e montagem de um e-commerce, são soluções para negócios que estão iniciando, pois exigem custo inicial bem baixo, possibilitando que pequenos empreendedores iniciem a sua loja virtual”, explica o especialista da FBV João Pessoa.

Entre estes sites estão o Mercado Shop, D Virtual e WebNode.

Ofereça ferramentas que otimizem a visita do consumidor

“De uma maneira geral, você precisa encontrar num ambiente de e-commerce algumas funcionalidades que possam ajudar o cliente a encontrar o que ele procura da maneira mais fácil e rápida, além de fazer o pedido com segurança e ágil”, afirma o professor.

Entre as ferramentas essenciais ele enumera:

-Oferecer pesquisa de produtos e divisão por categorias;

– Oferecer os principais meios de pagamentos disponíveis no mercado;

-Cross-selling (oferecer ao cliente um produto relacionado àquele que ele está comprando);

-Up-selling (oferecer um produto que está uma categoria à cima do produto original, como maneira de dar um upgrade na compra);

-Gestão de produtos;

-Incorporações com as redes sociais;

– Possibilidade de comprar com apenas um click (o cliente passará pelo checkout, onde realizará o cadastro, efetuará o pagamento, terá acesso às informações sobre o frete para o cálculo final e confirmará a compra);

-Lembre seu cliente daquilo que ele deixou de comprar na sua última visita;

-Sugestão de produtos baseada nas compras anteriores;

-Sistema de comparação de produtos.

Redes Sociais podem ser uma ferramenta importante de venda

“É primordial que a empresa tenha uma equipe e infraestrutura adequada para fazer uso do Instagram e Facebook associados ao seu e-commerce”, aconselha Nisston.

Segundo uma pesquisa do Facebook, 80% dos entrevistados já realizaram alguma compra influenciados pelo Facebook ou Instagram. Portanto, é interessante ter uma presença consistente nas redes sociais, especialmente para quem trabalha com serviços e varejo.

Nailson Júnior

Nailson Jr é radialista formado pelo Cefet-PB e também é presidente do portal www.pbnews.com.br com grande experiência profissional na área de jornalismo e comunicação. Nailson Jr é evangélico e um homem de cristo.
Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS