PBNEWS


Colunas

#BlackisBeautiful, ideologia de gênero e etc… o campo minado da internet!

24/10/2017 18:59

Alguns temas tem sido recorrentes em nosso dia-a-dia. Estamos em um momento em que a sociedade está cada vez mais dividida, se escondendo por trás de ideologias e, muitas vezes, extrapolando limites dentro de discussões, deixando aflorar a ignorância, intolerância e ódio. Vou recordar brevemente 3 casos recentes, que vão fazer você pensar bem antes de se posicionar ou postar algo em redes sociais, sem conhecimento de um determinado assunto.

No início do mês a Dove enfrentou uma grande polêmica em uma campanha. Uma modelo negra, ao levantar a blusa, revelava uma mulher branca, que consequentemente repetia o movimento e surgia uma mulher de outra etnia e por aí vai… os criadores da peça poderiam estar bem-intencionados (queriam levantar o debate da diversidade), porém não souberam comunicar sua ideia. Muitas pessoas atacaram a campanha e incentivaram um boicote à marca que já é reincidente nessas gafes. O ponto chave levantado pelos críticos da campanha é de que a diversidade não se trata de diferenças, e sim de igualdade. “Quando você rotula, você ratifica a diferença.”.

Há uma semana a Polenguinho lançou uma série de posts sobre bandas clássicas do rock, sendo que um post em especial rendeu muita discussão em sua fanpage. Graças a muitas pessoas desinformadas, uma montagem que fazia alusão a capa de um disco do Pink Floyd (Dark Side Of The Moon), foi interpretada como propagação de ideologia de gênero. Comentários como “A empresa põe um arco-íris, já está incitando o fato. Menos um produto no meu lar…” e vários outros, forçaram a Polenguinho a “desenhar” do que se tratava o post e, por final, se posicionar mostrando seu respeito pelo movimento LGBT+.

Nesta semana foi a vez da Santher, que lançou o papel higiênico Personal Vip Black. O produto foi lançado com o principal intuito de se tornar um artigo decorativo (além da sua funcionalidade básica). Até aí, nenhum problema, ok? Para a campanha, contrataram a Marina Ruy Barbosa e até aí, continuamos sem nenhum problema, ok? Ao lançar a campanha, a agência lançou a tag #BlackisBeautiful (eu particularmente gosto muito de preto, prefiro roupas pretas e não posso negar que o papel higiênico ficou bonito), mas o problema foi terem usado a expressão que representa uma luta iniciada nos anos 60, nos Estados Unidos, frente a uma grande segregação racial que existia no país. Até hoje a expressão “Black Is Beautiful” é usada em redes sociais, mostrando o orgulho das pessoas por suas características.

Onde quero chegar com isso? Seja você, profissional da comunicação, seja na sua vida pessoal, por mais que esteja bem-intencionado, sempre… SEMPRE, preste bem atenção no que você deseja transmitir. O mínimo de conhecimento é essencial para que você não crie um pesadelo para você, sua marca/negócio ou para a empresa em que trabalha. Hoje a internet é um campo minado e ações impensadas podem causar prejuízos irreparáveis.

Caio Araújo

Especialista em Marketing Estratégico e Publicidade, bacharel em Marketing Turístico pela UFPB, aficionado por música, cervejas e boa comida, curioso por tecnologia, fotografia e cultura inútil.
Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS