PBNEWS


Colunas

Mas quando os governos do mundo compreenderão isso?

28/04/2017 16:39

Afirmou a famosa biógrafa, crítica literária e tradutora Lucia Miguel Pereira (1901-1959) ao seu neto, Antonio Gabriel de Paula Fonseca Jr.: “Se eu puder te incutir a convicção de que a vida só é útil, só é digna, só é feliz quando dedicada ao cumprimento de um dever, não me terei esforçado em vão para educar-te”.

O povo a quem são negadas Educação, Instrução e Espiritualização Ecumênica torna-se fraco diante dos mais preparados. Ipso facto, sua pátria será dependente, escrava mesmo, das demais.

E não é bastante o zelo à cultura, clássica e/ou popular, pois é preciso que esteja aliada ao Sentimento Sublime que vem de Deus (entendido como Amor Ecumênico Solidário). Desprezar esse princípio é condenar as populações espirituais e terrestres ao pior cativeiro, em geral resultante em guerras de todas as expressões.

Já concluíra, em sua obra A Democracia na América, o pensador e político francês Alexis de Tocqueville (1805-1859): “(…) É preciso que os legisladores das democracias e todos os homens honestos e esclarecidos que nelas vivem se apliquem constantemente a elevar as almas e a mantê-las voltadas para o céu”.

Contudo, convém repetir: quando os governos do mundo compreenderão isso? Creio ser necessário que estudem o Espiritualmente Revolucionário Novo Mandamento do Cristo Ecumênico (João, 13:34), o Democrata de Deus, Estatuto Celeste do bem governar. Não esquecendo de socorrer o corpo, elevar as Almas à conquista de seu direito à Cidadania Espiritual, a Cidadania Ecumênica. Exercer a Caridade do Mandamento Divino na administração pública; socorrer o povo em suas necessidades mais urgentes de educação, emprego, moradia, saúde, saneamento básico, transporte, qualidade de vida nos grandes centros, hoje, inundados por gases nocivos de toda espécie. Caridade é isto: bem servir os seus cidadãos. Já disse e repito: o poder só serve enquanto serve… ao povo.

* José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.
paivanetto@lbv.org.br – www.boavontade.com

Paiva Netto

José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta, nasceu em 2 de março de 1941, no Rio de Janeiro/RJ, Brasil. É Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade (LBV), membro efetivo da Associa-ção Brasileira de Imprensa (ABI), da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter), da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), da International Federation of Journalists (IFJ), da Academia de Letras do Brasil Central, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, do Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro, do Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro e da União Brasileira de Compositores (UBC).
Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS