PBNEWS


Colunas

Avesso da moeda

29/08/2016 16:18

Quando me entendi por gente, os bandidos temiam ou, ao menos, evitavam a Polícia, já

que – via de regra – agiam no anonimato, na calada da noite, na surdina. E a Polícia, por

sua vez, caçava os bandidos e, quando pegava os foras da lei, os prendiam. Agora a

coisa é diferente, ou melhor, ocorre de forma inversa. O policial está se escondendo do

bandido, enquanto o bandido está à caça do policial – para matá-lo.

Essa nova ordem – ou desordem – começou no Sudeste do país, precisamente nos

estado do Rio de Janeiro e São Paulo. Lá, o cidadão que é policial evita usar a farda da

corporação, pois a mesma o identifica e o torna alvo de bandidos. O militar faz isso por

sua vida, pois a figura do policial representa uma pedra no caminho da bandidagem. Por

isso, na ótica do marginal, o PM tem que morrer.

A realidade, que parecia distante do nosso cenário, desembarca na nossa porta. É

violência pra todo lado, patrocinada por marginais cada vez mais fortemente armados. É

dezenas de policiais mortos, caixas eletrônicos de banco arrombados, etc.

O cidadão comum, preso em sua própria casa, abre o jornal ou o site de notícia, e se

depara com absurdos nunca antes imaginados – ao menos até o final da década de 80.

Até o fechamento deste artigo, a notícia mais quente era a seguinte: “Um prédio que

serve como local de dormitório e ponto de apoio da Polícia Militar no município de São

José da Lagoa Tapada foi arrombado durante a madrugada desta quarta-feira (17). No

local, a PM informou que nada foi levado pelos criminosos e que nenhum policial estava

no momento do crime.”.

A única coisa boa que se pode extrair da informação é a de que “nenhum policial estava

no momento do crime”. Se estivesse, certamente seria morto. Que coisa! Aonde vamos

parar?

Via Câmara – O vereador Bruno Farias (PPS) denunciou a suspensão, por 107 dias, de

cirurgias cardíacas eletivas, por parte da Gestão Municipal. O parlamentar fez a denúncia

na Câmara Municipal de João Pessoa, na sessão realizada na última quarta-feira (17).

Já a vereadora Eliza Virgínia (PSDB) apresentou, na Câmara, um Projeto de Decreto

Legislativo (PDL) para homenagear estudantes pessoenses premiados em olimpíadas do

conhecimento, de julho de 2015 a julho de 2016. De acordo com a lista anexada ao

documento, mais de 300 alunos de escolas públicas e particulares da Capital paraibana

receberão Diplomas Estudante Destaque José Lins do Rêgo da Casa Legislativa.

Valter Nogueira

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS