PBNEWS


Colunas

Corrupção

10/03/2016 16:18

De acordo com os conceitos acadêmicos, “corrupção” (substantivo feminino), é o ato ou

efeito de se corromper, oferecer algo para obter vantagem em negociata onde se favorece

uma pessoa e se prejudica outra. É tirar vantagem em um “projeto de poder” atribuído.

Busca oferecer ou prometer vantagem indevida a funcionário público, para determiná-lo a

praticar, omitir ou retardar ato de ofício conforme Art. 333. do Código Penal.

Já o verbo “corromper” (do latim e grego) significa “ato de quebrar aos pedaços”, ou seja,

decompor e deteriorar algo.

Na essência – popularmente falando – corrupção é uma prática de quem tem mau

caráter, de quem age sem um pingo de ética – vergonha na cara. Pior que isso, é algo

egoísta, praticado por pessoas que só pensam e si, em levar vantagem em tudo, sem

interesse ou compromisso com o bem comum.

Trago esse tema à tona porque o assuno é recorrente no Brasil – infelizmente!. Faz

tempo, homens públicos são envolvidos em denúncias de corrupção. Chega! É preciso

dar um basta nisso. O dinheiro público (público) já diz tudo, deve ser investido em favor

do coletivo, não em prol de alguns.

Na China (e em outros países), por exemplo, a coisa é diferente, ou seja, corrução é uma

exceção e não regra. Pouco se tem notícia de práticas corruptas naquele país. Segundo

um amigo, que residiu naquela nação asiática, as pessoas têm em mente que não se

dever levar para casa algo que não é seu; ninguém pega o que é do outro. E essa atitude

deve ser a lição básica: Se algo não é seu, deixe no local onde está, do mais simples ao

Segundo o colega que viveu na China, se alguém perde um objeto, ou esquece um tênis

ou uma bicicleta num parque ou numa praça, por exemplo, esse mesmo objeto

permanece no local até que o dona vá pegar. No máximo, alguém recolhe e entrega no

primeiro posto policial.

Além dos valares éticos, que mantém tal ordem naquele país, o cidadão é ciente,

também, que a quebra ou transgressão da ordem a é punida com rigor. Talvez isso falte

A saída está na Educação, na formação, no culto aos valores éticos. A punição, por sua

vez, será – ou deveria ser – aplicada com último recurso.

Câmara Municipal – A instalação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) na

Câmara Municipal de João Pessoa ocorre – também – como uma resposta à falta de

informações prestadas pelo gestor municipal aos vereadores. É o que tem afirmado o

vereador Zezinho Botafogo (PSB), que pediu à Gestão Municipal respostas aos

requerimentos solicitados pelos parlamentares.

Valter Nogueira

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS