PBNEWS


Colunas

O amor pode prolongar o tempo de vida

23/04/2014 13:21

O amor é visto, diariamente, sob diversas formas: entre amigos, namorados, marido e mulher ou o incondicional amor de pai e mãe. Ao longo da nossa existência, os laços amorosos constroem-se e tornam a vida das pessoas mais agradável e segura. Por outro lado, a saúde é outro fator importante que se beneficia em razão desse forte sentimento.
Para a psicóloga do Hapvida Saúde, Suellen Saraiva de Oliveira, a vida saudável resulta na possibilidade de ter esperança e potencializa as ações pessoais. “A saúde é constituída por um processo que diz respeito à convivência social e à vivência pessoal. Para promovê-la, não basta apenas ministrar medicamentos ou ensinar novos conhecimentos e padrões comportamentais. É preciso atuar nas necessidades e emoções que mediam tais conhecimentos e práticas, isto é, na base afetiva do comportamento”, explica.
Para que as mudanças ocorram, Suellen aconselha seus pacientes a sentirem e expressarem as suas emoções. “O mais interessante é que o amor, esse novo tipo de medicamento terapêutico, não custa nada, pode ser ministrado por qualquer pessoa e se aplica com o paciente perto ou longe do seu curador”, observa a psicóloga.
A especialista cita o “medicamento terapêutico” como uma das necessidades fundamentais para o desenvolvimento humano, junto com o pensar, o agir e o imaginar. Segundo ela, esses quatro fatores moldam o sentido de como a plenitude da saúde humana deve ser alcançada. Suellen explica ainda que o amor modifica o mundo físico interior dos pacientes. “Ao tomar uma postura psicológica altamente positiva e altruísta, que se constrói com a expressão do amor, o mundo físico interior do paciente também sofre alteração semelhante: melhora, cura-se e reequilibra-se”, acrescenta.
Suellen ressalta também a importante relação entre o amor e a saúde. “O amor e a saúde estão entrelaçados de maneira surpreendente. Os humanos foram feitos para se conectarem uns aos outros, então quando bons relacionamentos são cultivados, as recompensas são imensas”, completa. Ela conclui destacando a importância do amor na vida das pessoas. “Por ser o elemento mais significativo da vida humana, o amor ajuda a controlar o estresse, a ansiedade, a depressão e até a pressão sanguínea mais baixa. E isso é apenas o começo”, declara.

IDOSO

A convivência dentro de um ambiente no qual há bastante afeto pode ajudar no enfrentamento dos problemas de saúde, principalmente para uma pessoa idosa. Alguns efeitos promovidos com esse convívio são: o tempo de vida prolongado, a superação de perdas difíceis e a maior eficácia dos tratamentos médicos.
Rodrigo Dias, geriatra do Hapvida Saúde, explica que o lar afetivo é capaz de amenizar quadros depressivos e prolongar o tempo de vida dos pacientes. “Existem estudos que demonstram que, quando um idoso perde o seu cônjuge, ele também tende a falecer em alguns anos. Mas, com a ajuda da família, oferecendo apoio, carinho e atenção, esse tempo de vida pode ser ainda maior”, exemplifica.
Infelizmente, existe o lado inverso dessa situação. O médico alerta para a “insuficiência familiar”, termo usado na geriatria em relação à ausência de cuidados com a pessoa idosa. Tais casos de insuficiência chegam a dificultar o tratamento médico e trazer danos para a saúde.
Rodrigo ressalta, também, que o apoio da família incentiva o idoso a respeitar a prescrição dos medicamentos, por exemplo. “Ao receber carinho e atenção, eles aceitam a dependência dos remédios com mais facilidade e cooperam com o desempenho da própria saúde e do nosso trabalho”, esclarece.

Nailson Júnior

Nailson Jr é radialista formado pelo Cefet-PB e também é presidente do portal www.pbnews.com.br com grande experiência profissional na área de jornalismo e comunicação. Nailson Jr é evangélico e um homem de cristo.
Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS