PBNEWS


Cidades

Creci-PB realiza mutirão de Conciliação na Justiça Federal através do Cejusc

Segundo o presidente do Creci-PB, Rômulo Soares, o objetivo é minimizar o elevado índice de inadimplência da categoria,que gira em torno dos 38%.

05/11/2019 14:33

Os corretores de imóveis e empresas imobiliárias que estão em fase de execução, referente a débitos junto ao Conselho Regional de Corretores de Imóveis da Paraíba têm mais uma oportunidade pré-processual de negociarem suas dívidas e ficarem adimplentes com o Órgão. 

A partir desta segunda-feira (4) e até a primeira semana do próximo mês de dezembro, está sendo desenvolvido um esforço concentrado com a Justiça Federal na Paraíba para realização de audiências de conciliação referentes aos processos de execução fiscal de títulos movidos pelo Creci-PB em face de corretores de imóveis e empresas imobiliárias inadimplentes com a Instituição. 

O mutirão acontece das 9h às 12h e das 14h às 17h, de segunda a sexta-feira, na sala do Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos e Cidadania, no andar térreo do Fórum da Justiça Federal na Paraíba, situado à Rua João Teixeira de Carvalho, 480, no Conjunto Pedro Gondim, em João Pessoa”, afirmou o supervisor do Cejusc, Marconi Araújo. 

Observe-se que este momento refere-se aos Corretores de Imóveis e as empresas imobiliárias que foram notificados pela Justiça Federal, para comparecer a Conciliação com dia e horário previamente agendado. 

Elevado índice de inadimplência

Segundo o presidente do Creci-PB, Rômulo Soares, o objetivo é minimizar o elevado índice de inadimplência da categoria,que gira em torno dos 38%. Ele destacou que antes da adoção da medida foram disponibilizadas múltiplas oportunidades para aqueles que se encontram em débito pudessem regularizar sua situação. A partir da execução, os corretores de imóveis pessoas física e jurídica inadimplentes podem quitar suas dívidas, judicialmente ou administrativamente, através de acordo no setor financeiro do Creci-PB.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS