PBNEWS


Cidades

Escolas particulares aderem à recuperação de créditos em parceria com o IEPTB-PB

Escolas particulares da Paraíba estão recorrendo ao protesto de títulos online para recuperar dívidas de mensalidades atrasadas. Cerca de 40% das escolas privadas do Estado firmaram parceria com o Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil, Seção Paraíba, por meio do Sindicato das Instituições de Ensino Particular da Paraíba (Sinep-PB) e estão utilizando o benefício […]

25/06/2019 11:21
Escolas particulares aderem à recuperação de créditos em parceria com o IEPTB-PB

Escolas particulares da Paraíba estão recorrendo ao protesto de títulos online para recuperar dívidas de mensalidades atrasadas. Cerca de 40% das escolas privadas do Estado firmaram parceria com o Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil, Seção Paraíba, por meio do Sindicato das Instituições de Ensino Particular da Paraíba (Sinep-PB) e estão utilizando o benefício para recuperar as dívidas atrasadas.

“Temos convênio firmado com a Associação das Escolas Particulares do Estado da Paraíba e já contabilizamos cerca de 40% das escolas credenciadas e utilizando o protesto de títulos online para recuperar as mensalidades atrasadas”, afirmou o gerente comercial do IETPB-PB, Erick Ribeiro.

Proteção ao crédito

Segundo Erick, a cada seis meses as escolas fazem uma avaliação do semestre. Depois, elas tentam recuperar as dividas através do protesto de títulos. Ele destaca que as instituições de ensino Sistema Anglo de Ensino, João Paulo II e Colégio Master são algumas de referência na região metropolitana da Grande João Pessoa que aderiram à recuperação de créditos e utilizam o sistema.

Erick atribui a adesão das escolas pela necessidade que elas têm de uma ferramenta de proteção ao crédito. Além do mais, as escolas podem consultar os dados dos pais para saber se eles têm antecedentes a restrições de crédito. Nesse sentido, as escolas fazem avaliação se vale a pena conceder o crédito.

Inadimplência supera 50%

Em nível Brasil, de acordo com Erick, a inadimplência chega a 52%. E no segmento das escolas particulares, o índice varia de 30% a 35%. “É um índice muito considerado e cada vez mais eles (donos de escolas) pleiteiam por ferramentas que possam auxiliá-los na redução das taxas de inadimplências”, frisou Erick.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS