PBNEWS


Cidades

CRM-PB desinterdita médicos da UPA de Cruz das Armas após Prefeitura garantir segurança

Conforme o documento, a Guarda Municipal atuará “mediando conflitos e abordando eventuais exaltações por parte dos usuários, em conformidade com as orientações da Secretaria Municipal de Segurança Pública e do Comandante da Guarda”.

14/05/2019 15:48

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) desinterditou eticamente os médicos que atendem na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruz das Armas, em João Pessoa, no início da tarde desta terça-feira (14), após a Prefeitura de João Pessoa, através da Secretaria de Saúde, garantir que a Guarda Municipal é responsável institucional e legalmente pela segurança e integridade física dos profissionais de saúde do local.

A equipe de Fiscalização do CRM-PB esteve na unidade e comprovou que a Guarda Municipal está desempenhando a função conforme ofício enviado pelo secretário de Saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio. Conforme o documento, a Guarda Municipal atuará “mediando conflitos e abordando eventuais exaltações por parte dos usuários, em conformidade com as orientações da Secretaria Municipal de Segurança Pública e do Comandante da Guarda”.

“Por ofício e contato telefônico, o secretário de Saúde Adalberto Fulgêncio nos garantiu que a Guarda Municipal vai zelar pela integridade física dos profissionais da unidade. Por este motivo, desinterditamos eticamente os médicos da UPA de Cruz das Armas”, explicou o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais.

A UPA de Cruz das Armas foi interditada eticamente pelo CRM-PB nesta segunda-feira (14) após esgotar o prazo de 10 dias para que fosse providenciada a segurança adequada para garantir que os profissionais pudessem exercer sua profissão com tranquilidade. A interdição ética teve início à zero desta terça-feira (14). Com a desinterdição, o atendimento médico será normalizado a partir da zero hora desta quarta-feira (15).

Escala médica – No dia 25 de maio, termina o prazo para a direção da UPA de Cruz das Armas apresentar ao CRM-PB a escala completa dos médicos. “Médicos relataram que, por muitas vezes, atendem até 100 pacientes em um mesmo dia, por falta de outros profissionais. Infelizmente, isso não pode acontecer. É preciso que haja uma quantidade adequada de médicos para atender a população de forma segura”, disse o diretor de fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS