PBNEWS


Cidades

Presidente de Associação critica jogo sujo do governo contra Defensoria Pública

O presidente da Associação Paraibana dos Defensores Públicos, Ricardo Barros, conclamou a sociedade e a categoria a não dar crédito a algumas matérias divulgadas pelo governo do estado em desfavor da Defensoria Pública, referindo-se a gastos com diárias apontados pelo secretário de Planejamento, Waldson Souza, prática que atribuiu a jogo sujo ou mesmo ignorância sobre […]

02/12/2017 21:42

O presidente da Associação Paraibana dos Defensores Públicos, Ricardo Barros, conclamou a sociedade e a categoria a não dar crédito a algumas matérias divulgadas pelo governo do estado em desfavor da Defensoria Pública, referindo-se a gastos com diárias apontados pelo secretário de Planejamento, Waldson Souza, prática que atribuiu a jogo sujo ou mesmo ignorância sobre as diversas atribuições da Defensoria Publica.
“Antes de informar ou criticar, ele deveria no mínimo, pesquisar, pois o valor do montante das diárias por ele divulgadas foi propositalmente errado”, advertiu, afirmando que a DP gastou R$ 230 mil e não R$ 432 mil do seu orçamento durante o ano em diárias, para manter programas ativos.
Ricardo exemplificou, citando as equipes dos júris atuando em todo estado; de informática dando suporte em todas as comarcas; inspeção e fiscalização das cadeias públicas e presídios pela Gerência de Execução Penal em todas as comarcas; reuniões do Colégio Nacional dos Defensores Gerais e correições da Corregedoria em todas as comarcas.
Comparação descabida
Ele destacou não ser possível comparar a Defensoria Pública – que está presente em todo território estatal diariamente, com 139.480 mil atendimentos registrados nas mais diversas áreas somente entre janeiro a outubro deste ano – a uma secretaria de estado ou à procuradoria, que defendem interesses particulares do Estado.
Para Ricardo, o secretário deveria comparar a DP com o Ministério Público, que gastou apenas R$ 490 mil em diárias pagas aos promotores, o que representa mais do que o dobro gasto pela DP.
Pauta em missão constitucional
“Considerando que a Secretaria do Planejamento gastou no mesmo período 212.995,00 em diárias, e que apenas na área criminal a DP gastou R$ 125 mil dos R$ 234 mil, podemos concluir que a DP gastou R$ 87.500,00 em diárias a menos do que aquela Pasta, mesmo possuindo um leque de atuação dezenas de vezes maior do que qualquer órgão do executivo”, argumentou.
Segundo ele, diante destes números, não resta dúvidas que a DPPB está pautada em sua missão constitucional, cujo fato secretário desconhece ou finge não conhecer.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS