PBNEWS


Cidades

Eleição no Coren-PB: Selda Gomes atribui desespero da Chapa 1 a iminente derrota

A enfermeira e professora Selda Gomes, representante da Chapa 3 na eleição para o Plenário do Coren-PB que ocorrerá no próximo domingo, lamentou que medida em que se aproxima esse dia, só aumente o desespero e ataques rasteiros da Chapa 1, apoiada pelo atual presidente do Órgão, manifestado sobretudo nas redes sociais através de insultos, […]

30/09/2017 10:32

A enfermeira e professora Selda Gomes, representante da Chapa 3 na eleição para o Plenário do Coren-PB que ocorrerá no próximo domingo, lamentou que medida em que se aproxima esse dia, só aumente o desespero e ataques rasteiros da Chapa 1, apoiada pelo atual presidente do Órgão, manifestado sobretudo nas redes sociais através de insultos, ofensas e xingamentos a ela e por extensão, aos integrantes da Chapa que representa.

“Após a fracassada tentativa de indeferir o registro da Chapa 3, que orgulhosamente represento, buscaram, também sem êxito, nos rotular como Chapa “de governo”, “antiética”, “perseguidora”, de “enfermesa”, formada por pessoas “inexperientes e analfabetas que não sabem o papel do Conselho”, que “não valoriza os técnicos” e outros disparates mais”, lembrou.

Desprovido de isenção

Selda criticou ainda o fato de o presidente Ronaldo Beserra, que deveria ser – ou pelo menos se mostrar – isento, ter-se valido de “direitos de resposta” em veículos onde deu entrevistas, para como porta-voz de sua candidata a sucessora, a ofender de forma injustificada, direta e leviana.

“Chegaram ao ponto de tentar me proibir de manter contato com a categoria através de e-mails, alegando ‘invasão de privacidade’, disse, indignada.

Rejeição da categoria

Ela afirmou que para os profissionais da enfermagem, esse desespero decorre da falta de propostas motivadora da ausência da candidata Renata Ramalho a debates e se revela com mais intensidade, diante da iminente rejeição da categoria através das urnas no próximo domingo, a um projeto de continuísmo e perpetuação de Poder.

“Domingo, a enfermagem expressará seu sentimento de mudança, de desejo por uma gestão para todos e não para muito poucos privilegiados”, concluiu.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS