PBNEWS


Cidades

Pacientes carentes, portadores de epilepsia grave, têm oportunizado acesso gratuito a tratamento

Pacientes portadores de epilepsia oriundos de várias cidades do estado, que não têm condições financeiras de fazer uma consulta especializada nessa área, foram atendidos gratuitamente no último sábado, durante ação social promovida pelo Instituto do Cérebro da Paraíba, voltada a conscientização sobre a doença que atinge uma em cada cem pessoas. O atendimento consistiu em […]

10/04/2017 14:11

Pacientes portadores de epilepsia oriundos de várias cidades do estado, que não têm condições financeiras de fazer uma consulta especializada nessa área, foram atendidos gratuitamente no último sábado, durante ação social promovida pelo Instituto do Cérebro da Paraíba, voltada a conscientização sobre a doença que atinge uma em cada cem pessoas.
O atendimento consistiu em verificar se o paciente é portador de epilepsia e considerado refratário, ou seja, tem crise mesmo com uso de medicação. Quem não realizou os exames de ressonância, eletro ou vídeo-eletroencefalograma, será submetido a essa avaliação, que identificará se ele tem uma lesão ou indicação de procedimento cirúrgico, quando será, caso adulto, encaminhado ao Hospital Santa Isabel ou, se criança ao Hospital Universitário Lauro Wanderley (HU) para realização de cirurgia pelo SUS.
Antigo projeto
“A iniciativa faz parte ainda de um antigo projeto que temos, denominado Epilepsia Controlada, que visa tentar credenciar todos os pacientes portadores da doença na Paraíba e fazer com que eles tenham em alguma oportunidade de suas vidas um tratamento definitivo”, afirmou o médico neurocirurgião e diretor do ICP, Stênio Abrantes Sarmento.
Nesse sentido, ele adiantou que o Instituto do Cérebro realizará outra ação no período natalino no próximo mês de dezembro, em até dois dias, com o atendimento potencializado por avaliações e exames como eletro e ressonância, viabilizados através do apoio de outra empresa de imagem, além de atividades relacionadas ao evento, como palestras.

Leia também

[« Voltar]

Fale conosco Siga-nos no Twitter RSS